Arquivo para ninguém merece!

tem que ter habilidade…

Não quero ser a estraga-prazeres, mas é o seguinte:

Por mais que você pesquise/leia/devore/vomite artigos sobre maternidade e puerpério;
Por menos que se deixe contaminar com o “aaaaaaaahh, tadinha, dá jujuba pra ela senão ela vai passar vontade!” (?) & afins;
Por mais yoga e tai chi, Enya e Regina Volpato que se pratique;
Por mais que o pediatra tenha lhe explicado sobre esse “pró”, colocando-o como algo absolutamente normal (e ele o fez, exaustivamente);
Por mais que isso aconteça impreterivelmente com todo mundo, desde o primeiro australopiteco até a sua querida cria;

baby-food1

Você um dia se descabelará por causa da dieta de faquir da cria, irredutível e indiferente aos seus malabarismos culinarescos, às peripécias com a colher, às histórias inventadas e caretas convidativas… mãe moderna e esclarecida prestes a saltar do 4º andar…

Um dia, minha amiga! Afinal, não é à toa que o chamam de terrible twos! MUAAAAAAAAAAAAAAAAHAHAHAHAHAHAAAA!!!

non ecziste!

< publicado em 30 de abril de 2008, no Freak Mothers >

 

.
Dora é a única do maternalzinho que ainda “anda” com aquelas bolsas enormes com firulas, típicas de bebês.
.
Tô penando pra achar uma mochilinha de rodinhas que não seja da tríade de quatro Barbie-Moranguinho-Princesas-HelloKitty.
.
Humpf.
.
.
.
.
.