Arquivo de mamãe-aprendiz

na garagem

“ó, os carros tão descansando, mamai!”

a brand new point of view, todos os dias! 🙂

tem que ter habilidade…

Não quero ser a estraga-prazeres, mas é o seguinte:

Por mais que você pesquise/leia/devore/vomite artigos sobre maternidade e puerpério;
Por menos que se deixe contaminar com o “aaaaaaaahh, tadinha, dá jujuba pra ela senão ela vai passar vontade!” (?) & afins;
Por mais yoga e tai chi, Enya e Regina Volpato que se pratique;
Por mais que o pediatra tenha lhe explicado sobre esse “pró”, colocando-o como algo absolutamente normal (e ele o fez, exaustivamente);
Por mais que isso aconteça impreterivelmente com todo mundo, desde o primeiro australopiteco até a sua querida cria;

baby-food1

Você um dia se descabelará por causa da dieta de faquir da cria, irredutível e indiferente aos seus malabarismos culinarescos, às peripécias com a colher, às histórias inventadas e caretas convidativas… mãe moderna e esclarecida prestes a saltar do 4º andar…

Um dia, minha amiga! Afinal, não é à toa que o chamam de terrible twos! MUAAAAAAAAAAAAAAAAHAHAHAHAHAHAAAA!!!

é ou não é!?

Lá você pode brincar com o pavão (ele fica solto, é!) antes de descer o escorregador do castelo. E depois de uma sessão de vídeo, dar uma voltinha de trem! Daí, correr pra horta e colher os ingredientes pra uma divertida aula de culinária. Mais tarde, depois de brincar na casinha em miniatura (com direito a mini-berço, mini-armário, mini-fogão, mini-jogo-de-chá), um mergulho na piscina. E ainda sobra tempo pra brincar de música, conversar com as araras, oferecer uma cenourinha pro coelho e dar uma volta no carrossel!

É ou não é A escola, dizaí!?

mamãe tem que trabalhar

primeira viagem a trabalho. primeira a passar noites fora. 2 noites, 3 dias. apreensão.

lá: ligações, saudades, curtição da cama+TV do hotel, presentinhos pra aliviar a culpa e compensar o “longo” tempo de abstinência de ‘mamã’.

cá: colônia de férias, dormir mais tarde, vaga lembrança de uma ‘mamã’ mas que logo sucumbia a mais uma brincadeira com o ‘papá’.

e na manhã do terceiro dia, quando me viu, foi como se tivéssemos nos encontrado na noite anterior.

mais uma lição, filha. obrigada!