Arquivo de liga a vitrola

pros ouvidos e alma

A música sempre teve papel importante na minha vida. É ela quem define as várias fases e ciclos (pra quem tem uma memória de mosca como eu, é necessário esse subterfúgio), define tribos, é alegoria àquela viagem, àquele encontro, àquela tristeza ou êxtase. Está em tudo, enfim. E não seria diferente quando da sua chegada, claro.

Durante a gestação foram MPBabies a rodo. Todo o cuidado era pouco, afinal, um ser em pleno potencial estava se formando e nós éramos responsáveis por proporcionar as primeiras boas sensações! O pai, tomando a parte da responsabilidade que lhe cabia, tratou de providenciar música clássica da melhor qualidade (afinal, era a praia dele). De tudo que ele trouxe dos sebos, o que me agradava mais era Bach e Grieg. E Mozart. Tá, Beethoven também.

Já fora da barriga, Dora, como eu e todo mundo, teve [tem e terá] suas fases pontuadas por músicas. No início era gostoso porque somos nós quem definimos, certo? Ao mesmo tempo ela já demonstrava preferências e insatisfações. O que por sua vez, também era muito gostoso, como descrito lindamente aqui. Bach, chill out (hello, estamos em 2009!), chill out para bebês, também. Música do vovô, Cartola, Palavra Cantada, Marisa Monte e batucada afro, o negócio sempre foi sortido.

Depois é a chegada do Bebê Mais e Cocoricó, do Barney e Backyardigans, e um novo panorama se apresenta com mais cores e nuances e, invariavelmente, ela não mais se submeteria somente ao nosso gosto musical.

Eu desconfiava, mas é ainda mais gostoso e encantador! Percebê-la cantando [gritando] junto a “música da bailarina“, e eu rindo enquanto dirijo e olho sua cantoria pelo espelho retrovisor. Sua relação de amor-e-medo com a tal “música da bruxa“. Até um gosto excêntrico claramente influenciado pelo pai, através das ditas “músicas rápidas“. Voltando aos pliès, tem também a música do “príncipe com a bailarina”, a “música da sereia”. Mas o mais especial (por ser um disco fantástico e por ele a ter tocado assim) é “a princesa e o sapo”. Aliás, enquanto o sapo canta ou toca flauta (é o trompete do Louis), a princesa dança, sabia?

Ela sabe. E nos contou. =)

ella-louis

repeat mode

A peleja da vez é pesquisar / encontrar / baixar / gravar um CD de músicas pra ela. O tema: bailarina. Afinal, por mais *legal* que seja a música, ninguém aguenta ouvir ad eternum no carro:

Procurando bem
Todo mundo tem pereba
Marca de bexiga ou vacina
E tem piriri, tem lombriga, tem ameba
Só a bailarina que não tem
E não tem coceira
Berruga nem frieira
Nem falta de maneira
Ela não tem

Futucando bem
Todo mundo tem piolho
Ou tem cheiro de creolina
Todo mundo tem um irmão meio zarolho
Só a bailarina que não tem
Nem unha encardida
Nem dente com comida
Nem casca de ferida
Ela não tem

Não livra ninguém
Todo mundo tem remela
Quando acorda às seis da matina
Teve escarlatina
Ou tem febre amarela
Só a bailarina que não tem
Medo de subir, gente
Medo de cair, gente
Medo de vertigem
Quem não tem

Confessando bem
Todo mundo faz pecado
Logo assim que a missa termina
Todo mundo tem um primeiro namorado
Só a bailarina que não tem
Sujo atrás da orelha
Bigode de groselha
Calcinha um pouco velha
Ela não tem

O padre também
Pode até ficar vermelho
Se o vento levanta a batina
Reparando bem, todo mundo tem pentelho
Só a bailarina que não tem
Sala sem mobília
Goteira na vasilha
Problema na família
Quem não tem

Procurando bem
Todo mundo tem…

* mas que é uma delícia ouvi-la cantar junto, isso é! *

#MJ

Você ainda não sabe, filha, mas esse cara revolucionou o mundo da música. Ele ainda criou uma dancinha bem divertida, a gente uma hora dessas tenta fazer juntas, tá!?

1) Do início
2) Das boas
3) Divisor de águas
4) Mais uma
5) E tantas outras, também.

imã

You’re just too good to be true
Can’t take my eyes off of you
You’d be like heaven to touch
I wanna hold you so much
At long last love has arrived
And I thank God I’m alive
You’re just too good to be true
Can’t take my eyes off of you

Pardon the way that I stare,
There’s nothing else to compare
The sight of you leaves me weak
There are no words left to speak
But if you feel like I feel,
Please let me know that it’s real
You’re just too good to be true,
Can’t take my eyes off of you

I love you baby and if it’s quite all right,
I need you baby (…)

boquinha  montagem
reveillon-slingado

dsc04447  dsc04448
dsc04449

Fulminante mesmo, filha, é assim de verdade!

* trecho de “Can’t take my eyes off of you” (Frank Valli) sobre trechos de felicidade.

arco-íris

Já gosta da mamãe
Já gosta do papai
Não sabe tomar banho não

Já sabe tomar banho
Já quer ouvir histórias
Não sabe pôr sapato não

Já sabe pôr sapato
Já come até sozinho
Mas nunca escova os dentes não

Já escova bem os dentes
Já vai até na escola
Não sabe jogar bola não

Já sabe jogar bola
Já roda, roda, roda
Não sabe pular corda não

Já sabe pular corda
No colo quer carinho

.
.
.

Chegamos na terceira estrofe, com muita bagunça, roupa suja e um pouco de ajuda da mamãe e papai.

=)

.
(“Já Sabe”, de Sandra Peres e Paulo Tatit, do disco Canções de Brincar)
.