Arquivo para outubro, 2008

barbooooosaaaa!

Eu batizei de “a fase Barbosa”. Veja:

– Filha, coloca o sapatinho vermelho porque esse outro tá sujo…
SUJO!

– Mamai, que ixo?
– Isso é parte do seu guarda-roupas, filha! O moço vai trazer amanhã a outra parte, que ficou pra pintar e…
pitá!

– Filha, come a sopinha de cenoura, tá uma delícia, olha só a mamãe comendo..
omeno…
(quem nasceu até o início dos anos 80 entenderá a analogia!)

Anúncios

enfim, o mar!

< publicado em 3 de janeiro de 2008, no Freak Mothers >

Cena 1:
Mulher de biquini à la vela-de-sete-dias (comprida e alvíssima) contempla o mar… cheio de gente… cheio de ondas, ondas zangadas. Se-estivesse-vazia-seria-muito-mais-gostoso-não-é-minha-mãe?!, indaga ela silenciosamente. Ondas e correnteza, um caixote certo, mas o magnetismo… e dá-lhe coragem pra tomar seu banho de descarrego do último dia do ano!

Cena 2:
A mesma mulher segura com certa dificuldade (com mais força que o habitual) as maozinhas da filha de 1 ano recém-completo que ansiosamente/desesperadamente tenta correr (ainda que não saiba andar) em direção ao mesmo mar arredio e magnetizante.

Cena 3:
O pai da garota, escolado no assunto (recifense o rapaz), entra com filha e tudo na egrégora-praieira-carioca… a mãe apreensiva cuidado-olha-a-onda-aí-atrás!!!, a garota com sorriso em neon e olhos brilhantes, balança as maozinhas pro céu de um azul perfeito.

Preciso morar na praia!

cute photo art

< publicado em 12 de setembro de 2008, no finado Freak Mothers >

 

Recriação em Lego® de “Behind the Gare Saint-Lazare, de Henri Cartier-Bresson.

 

Veja aqui!

cocô fonado

< publicado em 27 de maio de 2008, no finado Freak Mothers >

 

* momento memorável e so cute =^.^= *

Ontem, após o jantar, assistindo Cócócó (nas palavras dela, em referência ao programa infantil do Julio e sua turma). Como que num insight, ela vira pra mim e apresenta:
– Cocô! (apontando pra fralda)

Chuva de beijos e elogios ao lindo cocô fonado!!!

a estrutura dramática aristotélica

< texto publicado em 09 de setembro de 2008, no finado Freak Mothers >

 

“A fábula deve ser constituída dramaticamente, isto é, deve compreender uma ação única, que forma um todo coerente e que se complete em si mesmo e que tenha princípio, meio e fim, de modo que seja um perfeito organismo vivo, que possa produzir o prazer que lhe é peculiar” (Aristóteles)

Hoje cedo, maridón:
– Dora precisa de coisas mais… lineares, táligado?
– …
– É, ela tem pedido mais o Jakers* e o Cocoricó, ao invés de Bebê Mais e Baby Einstein.

(*) Jakers é uma animação infantil, que se passa numa cidadezinha irlandesa (!) onde o protagonista porco e seus mui amigos pata e bezerro se envolvem nas mais diversas abenturas. Recomendo!

dora amanhã

Será que você se parecerá com ela?

=)

“Frida”, de Annette Mangseth. Veja aqui!